Estratégias para crianças com défice de atenção


- As crianças com défice de atenção necessitam de organização, de estrutura, de directrizes e de repetições. O estabelecimento de regras, expostas e de fácil leitura, ajuda a criança a saber o que é esperado dela, o que lhe transmite segurança. O clássico conjunto de regras, exposto na sala, de uma forma visível e apelativa, após terem sido trabalhadas em grupo, é um meio auxiliar muito eficaz. Convém ter em conta a necessidade das regras serem colocadas na positiva, e de se recorrer a elas sempre que uma seja desrespeitada. As crianças necessitam ouvir com frequência, por isso repita-as, fale acerca delas, promova o diálogo, etc.

- Um sistema de créditos (economia de fichas) é uma possibilidade válida de alterar alguns dos comportamentos indesejáveis. Convém que seja realizado na positiva, nunca na negativa, com prémios concretos que, à medida que os objectivos vão sendo alcançados, vão sendo substituídos por elogios (por ex.). No início da aplicação do sistema, os critérios de avaliação terão níveis de exigência mais reduzidos, ocorrendo um aumento gradual à medida que o tempo passa e os objectivos vão sendo alcançados.

- Dar feedback, de uma forma construtiva, com frequência. As crianças beneficiam muito com o retorno frequente do seu resultado. Tal facilita a ocorrência dum comportamento desejável, possibilitando à criança saber o que lhe é esperado, e se está a atingir as metas esperadas, o que pode ser um excelente incentivo.

- Possuir pensamento positivo. Na maioria dos casos, quando se corrige uma criança, existe a tendência para dizer :"Não faças isso"; quando o que surtirá mais efeito será dizer: "Faz isso". Procurar dizer pela positiva, ao invés da negativa. Desta forma permite-se à crianças interiorizar o que tem de fazer, o que se espera dela, ao invés do que o que não se espera que realize.

- Existe elevada associação entre o défice de atenção e a baixa auto-estima, normalmente como consequência directa da primeira. Convém que a criança seja "alimentada" com incentivos e apoios, não apenas quando termina tarefas, mas também durante a realização das mesmas. Valorizar mais o esforço que o resultado final.

- Deve-se procurar salientar os aspectos positivos da criança, evitando tratá-lo por apelidos ou realizar comentários depreciativos. Quando for necessário criticar, deve-se criticar o comportamento específico, mostrando, no entanto, que ela pode melhorar e, de uma forma pedagógica, mostrar-lhe a forma correcta de agir. Perguntas do género "Sabes o que fizeste?, ou "Como é que achas que podias ter feito de forma diferente?" ajudam a promover a auto-observação.

- Estabelecer tarefas de conclusão rápida (inicialmente), começando a aumentar gradualmente a complexidade e duração das mesmas, fomentando a aprendizagem da organização. Relativamente a grandes tarefas, procurar dividir em menores. Grandes tarefas, em crianças com défice de atenção, frequentemente resultam num nível de resposta do tipo "eu não sou capaz". Pela divisão de tarefas, o adulto pode permitir à criança que demonstre a si própria que é capaz, e evitar sentimentos de frustração.

- Na sala, procurar colocar a criança junto do adulto, tal ajuda a evitar a distracção. De igual forma, juntar a criança perto de outras bem comportadas, pois ela necessita de modelos para se estimular.

- Procurar juntar as mesas em círculos, ou em "U". Tal facilita o contacto e o "olho a olho" com os restantes colegas, o que ajuda a evitar a dispersão.

- Utilizar, sempre que possível, metodologia visual. Procurar escrever no quadro palavras chave enquanto se fala dos assuntos.

- Ser criativo e procurar inovar, tal entusiasma as crianças, ajuda a motivar e a manter a atenção.

- Alternar actividades mentais e físicas.

- Muitas vezes, o "chamar à atenção" verbal pode ser trocado por um simples olhar, que ajuda a criança a manter-se atenta. O mesmo resultado pode ter um pequeno toque físico quando esta se distraí (Ex.: leve toque no ombro).

- Promover a prática de exercícios físicos, tal ajuda a "libertar" o excesso de energia, contribuí para o aumento da capacidade de concentração, além de ser divertido.

- Procurar fomentar a comunicação Pais/Escola, não apenas duma forma reactiva, após a ocorrência de dificuldades, mas sim duma forma construtiva e preventiva.

73 comentários:

Anónimo disse...

http://gapdda.blogspot.com/

Olá, acontece que este Transtorno de défice de atenção existe também nos Adultos causando enormes dificuldades na vida profissional e pessoal.
Pretendemos formar um grupo de apoio que promova reuniões.

GAPDDA@gmail.com

Anónimo disse...

Gostei das informações contidas, me ajudaram muito no sentido de orientar-me como lidar com meu filho. Obrigada

Leninha disse...

Olá!
Gostei muito do site,tenho um filho de 8 anos que tem esse transtorno,não sei lidar com ele,meu sofrimento aumenta cada dia,acredito qu o dele também.Não gostei da maternidade,talvéz pr ter um filho que me consome 24h.desde que ele nasceu que a minha vida deixou e existir,só vivo pro trab.e pra ele,tudo pesa sobre meus ombros,peço a Deus todos os dias que me perdõe,por nunca dizer qu ser mãe é padecer no paraizo,porque ?de paraizo, não tem nada.Eu definitivamente não sou uma mãe feliz!!!
se alguém quiser me ajudar,ou estiver passando pelo mesmo problema que eu.Esse é meu email
hannalee2009@hotmal.com
obrigada

Anónimo disse...

tem calma tudo vai correr bem com o seu filho e ser mãe nao é um pesadelo, mas é uma melhor prenda para uma mulher.
que nasce dentro de si durante 9 meses.....mas pode estar a passar por uma mal bocado, mas quando passar este situação , ai ira preceber a importancia do um filho na sua vida.
tenha boa sorte!
Felicidades

Anónimo disse...

olá, sou DDA, tenho 50 anos e só depois de muito tempo, foi que recebi esse diagnóstico de um psicólogo amigo,
mas ele não pode ser meu terapeuta. Gostei muito do seu artigo. gostaria de poder falar de mim, de outros assuntos que me consomem pois sempre acho que sou desastrada e incômoda. Parabéns por seu trabalho.

Anónimo disse...

Tenho três filhos dois deles gémeos e passei pela mesma situação com os três. Maus resultados na escola que na minha filha mais velha atribuí sempre ao facto de ter decidido ter outro filho contra a vontade dela e que em vez de um vieram dois. Achei que o inssucesso dela era uma forma de me castigar por lhe ter dado uma coisa que ela nunca pediu, pois tudo aconteceu a partir dessa altura.
Quando os meus filhos foram para a escola, aprenderam tudo o que era para aprender no primeiro ano e foi a partir do segundo ano que começaram os problemas, turma muito grande, eles precisavam de um acompanhamento mais personalizado que a professora não conseguia dar ou não lhe apetecia, que nós sabemos que os professores, salvo raras excepções gostam de alunos que aprendam à primeira a matéria que eles "despejam". Foram passando sempre com a desculpa de que o problema deles era serem muito Infantis e que com a idade iriam ter sucesso, mas sempre com matérias em atraso que eles não conseguiram assimilar convenientemente e que lhe veio a fazer falta a partir do 5º ano, altura em que resolvi consultar um pedo-psiquiatra pois os resultados eram péssimos e os prefessores diziam que apesar de eles serem crianças muito sossegadas e de parecerem estar muito atentas, quando chamados à atenção verificava-se que eles não tinham estado na sala aquele tempo todo, a cabeça estava no mundo da lua. passaram a ser medicados com um medicamento que só uma pessoa munida de bilhete de identidade pode levantar na farmácia e melhorou um bocadinho. Este ano estão no 7º ano e as notas do natal foram uma verdadeira desilusão, a partir do meio do 1º periodo começaram a ser medicados novamente, e a queixarem-se sucessivamente de dores de barriga e indisposições que supostamente são efeitos secundários do medicamento, e agora fico com este peso na consciência sobre o mal que poderei estar a fazer aos meus filhos para que eles possam ser como as outras crianças e não fiquem para trás, até porque a autoestima deles está de rastos, porque têm noção de que são piores que os outros e que não conseguem superar essa situação. opinando sobre o comentário da Leninha sobre o não gostar da maternidade, às vezes sinto que as mães que têm filhos inteligentes e que não se preocupam senão em assinar os testes "Muito Bom", não estão preocupadas se os devesres estão feitos, se estão bem feitos , se é preciso estudar com os filhos porque no dia seguinte vão ter um teste a qualquer coisa, são umas felizardas. às vezes sinto-me muito culpada por ter trazido os meus filhos ao mundo só para sofrerem, porque eu sei que eles sofrem, até porque as crianças com bons resultados escolares não estabelecem muita relação com crianças destas, os bons juntam-se aos bons e os maus aos maus. Peço desculpa por este longo desabafo, mas às vezes sinto-me a bater no fundo e não sei a volta que hei-de dar a esta situação. peço muito a Deus, porque acredito que ele existe, que me dê a paciência e a capacidade para poder ajudar os meus filhos a andar para a frente na vida sem que se sintam inferiorizados, e que os mantenha fisicamente perfeitos e com saúde para que, se não forem doutores, pelo menos não estejam limitados para exercer outras actividades. Obrigada a quem teve a paciência para ler todo este testamento e espero que todas as mães na minha situação tenham paciência e calma para poderem ajudar os seus filhos, que precisam mesmo dessa ajuda.

Anónimo disse...

Bom dia, Gostaria de receber mais informações sobre a defice de atenção fui procurada pela professora da escola de meu filho ( 7 anos) e estou desesperada não sei o que fazer, meu filho não consegue aprender de jeito nehum a matemática e em outras atividades parece estar fora do ar, se alguém puder entrar em contato comigo para dividir informações ficarei muito feliz meu e-mail é shirley-mami02@hotmail.com e Gostaria de parabenizar a idéia desse blog as informações são riquissimas. Obrigada!

Anónimo disse...

Eu acho que passo por esse problema.
Amo minha filha mais que tudo nesse mundo mas tem horas que perco a paciencia com pela falta de atenção dela na escola acho que ela não gosta de estudar mas começo a achar que ela tem deficit de atenção.Já levei na psicopedagoga e na neuropscologa. Estava esperando pelo 3 bimestre achando que eu ia conseguir fazer ela melhorar nas notas mas não deu acho que vou procurar ajuda.

Anónimo disse...

Ao meu filho também foi diagnosticado o défice de atenção e provavelmente também terá défice de concentração. No entanto em casa não é tão irrequieto como na escola pois também precisa de um adulto sempre ao seu lado e felizmente consigo tempo para estar disponível para ele. Há que lembrar que estas crianças não fazem as coisas por mal, se sem que por vezes parece que não levam nada a sério. Eu também ralho com o meu filho quando lhe estou a explicar as coisas e ele parece que se está a "borrifar" para o que digo. Mas depois vem o remorso e penso que amanhã é outro dia e há mais uma oportunidade de recomeçar as coisas. O que tento fazer é munir-me da maior dose de paciência possível e vou fazendo com ele os trabalhos, tentando não desesperar quando faz a letra torta ou faz de qualquer maneira para acabar os trabalhos o mais rápido possível. Vou tentando dar reforço positivo (boa, estás a conseguir; vês, não é assim tão difícil)Quando está um desastre completo, em vez de ralhar digo: podes fazer melhor, porque sabes. Mas compreendo perfeitamente o vosso desespero, pois nem sempre a vida é fácil e trazemos os nossos problemas e acabamos por descarregar na família. Força e coragem para todos/as

PAIS JA NÃO PODEMOS MAIS disse...

Pois sabemos que e isso temos uma filha de 9 anos, só demos conta na 1classe , só com certeza 2 ano começamos com medicação,tendo apoio pediatra diz que ela muito infantil,isso passa com o tempo,andamos vir outra criança para não ser filha única,isso fez muito bem começou ter mais respirabilidade ,para protegermos mais tivemos que mos sacrificamos poderemos no colégio la ela teve,tem todo o apoio,na escola publica nao dava,pelo contrario so lhe fez muito mal, não tinha apoio estava de lado,o problema que alguns professores so gostam de trabalhar com os que sabem ,tem mais sucesso.So quem tem filhos com pouco défice de atenção sabe o que e sofrer por eles ,eles por nos eles não são burros são espertos para outras coisas,para estudar não lhes entrasses. EU COM ISSO GOSTAVA MUITO DE AJUDAR A NOSSA FILHA E AS OUTRAS CRIANÇAS MAS COMO POUCO SE FALA ISTO,MUITOS TEM VERGONHA.

PAIS JA NÃO PODEMOS MAIS disse...

Pois sabemos que e isso temos uma filha de 9 anos, só demos conta na 1classe , só com certeza 2 ano começamos com medicação,tendo apoio pediatra diz que ela muito infantil,isso passa com o tempo,andamos vir outra criança para não ser filha única,isso fez muito bem começou ter mais respirabilidade ,para protegermos mais tivemos que mos sacrificamos poderemos no colégio la ela teve,tem todo o apoio,na escola publica nao dava,pelo contrario so lhe fez muito mal, não tinha apoio estava de lado,o problema que alguns professores so gostam de trabalhar com os que sabem ,tem mais sucesso.So quem tem filhos com pouco défice de atenção sabe o que e sofrer por eles ,eles por nos eles não são burros são espertos para outras coisas,para estudar não lhes entrasses. EU COM ISSO GOSTAVA MUITO DE AJUDAR A NOSSA FILHA E AS OUTRAS CRIANÇAS MAS COMO POUCO SE FALA ISTO,MUITOS TEM VERGONHA.

Anónimo disse...

Boas,
eu também tenho uma filha de 8 anos que tem défice de atenção.
é uma situação muito difícil e só sabe e compreende quem passa pelo mesmo. A minha filhota sempre foi muito activa, fala muito e nunca está cansada. Tenho pena que eu própria é que me apercebi do seu problema quando ela no 1º ano começou por demorar muito a fazer o trabalhos de casa e quando eu falava com ela ou a professora parecia que ela estava em outro mundo. Quando tentava e tento explicar-lhe algo e a meio da conversa digo estás a ouvir ela diz hã o quê!, conclusão não ouve nada. Nos testes de avaliação já teve de repetir fichas de português e de matemática porque ela como tem dificuldades em ler e ainda por cima troca as letras escreve algo à toa só para ficar feito e nem lê para ver o que respondeu.
Bem são tantas coisas que às vezes é difícil descrever. Tem dias em que ela faz tudo certo e atinge todos os objetivos e tem outros dias em que não faz nada certo.
O que eu sei é que ela agora está no 2º ano e como está começando a perceber que os outros colegas são melhores que ela, está começando a regredir e diz que não é capaz e que queria ter excelente nos ditados e chora porque não consegue. A sua auto-estima está tão em baixo! Eu estou sempre a elogiá-la por tudo o que faz mas sei que não é o suficiente, ela própria não tem confiança em si. Ela como falha muito e já se apercebeu disso diz sempre já sei que não vou conseguir e uma mãe ao ouvir isto fica muito triste.
Ela tem sido seguida por uma psicóloga na escola e também faz terapia para ajudá-la na concentração. A psicóloga diz que vai fazer um relatório para eu apresentar ao pediatra para que a minha filha comece a tomar o medicamento.Agora estou à espera.
Bem estou entrando num nível de saturação psicológica que se eu não tiver ajuda, quem vai precisar de medicação sou eu, porque estou atingindo o meu nível máximo de compreensão, esforço e dedicação.
Já não sei mais o que fazer, é que além de ela ser muito desatenta a a psicóloga diz que ela poderá também ser disléxica e então se assim for está o caldo entornado.
Tento todos os dias ter calma e todos os dias antes de ela ir para a escola digo-lhe assim: querida presta atenção na aula e confia mais em ti porque tu consegues, és esperta, inteligente, linda, tens amigos e lembra-te sempre que és o amor da minha vida e eu tenho muito orgulho em ti. E ela responde também gosto muito de ti e vou tentar.
Para todos os pais que tenham filhos nesta situação, não desistam deles dêem-lhes amor e transmitam-lhes segurança.

Rui disse...

gostaria de entrar em contacto com algumas pessoas acerca desta situaçao,o meu filho tem 5 anos fitosem Dezembro de 2011 e penso que tambem Ele pode ter deficit de atençao, se alguns Pais me puderem dar o email para podermos falar sobre isto agradeço bartleao@spo.pt
agradeço toda a ajuda de quem possa estar a passar por esta situaçao

Anónimo disse...

É UMA REALIDADE MUITO TRISTE, SÓ SEI POR QUÊ JÁ PASSEI E PASSO POR ISSO ATÉ HOJE.DÓI VER MINHA FILHA SE ESFORÇANDO PARA APRENDER E QUANTO MAIS SE ESFORÇA MENOS CONSEGUE ENTENDER E SE CONCENTRAR.
QUANDO EU ESTUDAVA, ME ACHAVA INFERIOR AS MINHAS COLEGAS, PELA DIFICULDADE DE ENTENDER O ASSUNTO E TINHA VERGONHA DE TIRAR DÚVIDAS, JÁ QUE SEMPRE EU NÃO ENTENDIA. PRINCIPALMENTE AS MATÉRIAS LENTAS COMO GEOGRAFIA, HISTÓRIA,
SÓ GOSTAVA DAS QUE DESPERTAVAM
MINHA MINHA ETERNA CURIOSIDADE, COMO: QUÍMICA E BIOLOGIA.
NÃO AGUENTO MAS VER MINHA FILHA QUE SÓ TEM 08 ANOS SOFRER DESTE JEITO.
ELA CHEGA A PEDIR PARA SAIR DA ESCOLA, ACHANDO QUE O PROBLEMA ESTÁ NA PROFESSORA OU ESCOLA.
NÃO SEI O QUE FAZER.
POR FAVOR ME AJUDEM...

Ana Diferenças disse...

Olá a todos
Mora na área da grande Lisboa, e por aqui encontrei bons técnicos que têm ajudado ao longo dos últimos anos o meu filho de 10 anos.
Ele está medicado com ritalina, e embora com bastante trabalho tem conseguido resultados válidos na escola.
Agora até já noto que aprendeu a defender-se do seu problema e começa a arranjar estratégias para não se esquecer das coisas.
Para nós pais a coisa não é assim tão fácil. Ainda não percebi como me posso ajudar. A minha criança exige tanto tempo que é estenuante.
Cada caso é um caso, mas os pais precisam de os aceitar tal como eles são, com as suas dificuldades.
É um troblema neurológico. Não tem a ver com surdez, nem com rebeldia.... eles simplesmente são diferentes.
Recomendo um livro que se chama
DÉFICE DE ATENÇÃO E HIPERACTIVIDADE de Mark Selikowitz. É na minha opinião muito bom, ajuda a entender alguns comportamentos e aceitar os meninos tal como eles são.
Coragem e muita paciencia é o que, nós pais, precisamos

Anónimo disse...

Olá a todos
Mora na área da grande Lisboa, e por aqui encontrei bons técnicos que têm ajudado ao longo dos últimos anos o meu filho de 10 anos.
Ele está medicado com ritalina, e embora com bastante trabalho tem conseguido resultados válidos na escola.
Agora até já noto que aprendeu a defender-se do seu problema e começa a arranjar estratégias para não se esquecer das coisas.
Para nós pais a coisa não é assim tão fácil. Ainda não percebi como me posso ajudar. A minha criança exige tanto tempo que é estenuante.
Cada caso é um caso, mas os pais precisam de os aceitar tal como eles são, com as suas dificuldades.
É um troblema neurológico. Não tem a ver com surdez, nem com rebeldia.... eles simplesmente são diferentes.
Recomendo um livro que se chama
DÉFICE DE ATENÇÃO E HIPERACTIVIDADE de Mark Selikowitz. É na minha opinião muito bom, ajuda a entender alguns comportamentos e aceitar os meninos tal como eles são.
Coragem e muita paciencia é o que, nós pais, precisamos

Anónimo disse...

Mães, não se desesperem. A maternidade é a melhor coisa do mundo. Meu filho também tem déficit de atenção. O que precisamos é aprender a entendê-los e ter muita paciência. Vocês verão que tudo fica mais fácil. Precisamos exercer nossa paciência todos os dias, porque quem mais sofre, são eles.

Anónimo disse...

Meu filho fez 5 anos no começo desse mês, a pediatra dele disse que não, mas, eu tenho certeza que ele tem déficit de atenção (hiperatividade). Ele é muito inquieto, sabe fazer a agenda escolar, mas, não quer parar para fazer. Quando estou conversando uma coisa com ele, ele fala de algo que não condiz com o contexto, enfim, ele tem muitos dos sintomas sobre este problema e eu sinceramente fico muito triste, pois, muitas vezes me falta a paciência, quando estou ajudando ele com a tarefinha, o que acaba por prejudicá-lo mais ainda, pois, me descontrolo ao ver que ele sabe fazer o certo e faz errado, fico imaginando, porque o meu filho? Não quero vê-lo ficar para trás e me desespero! SOS.

Giovanna disse...

Olá, meu nome é Giovanna tenho 18 anos e pretendo me formar em Psicopedagogia clínica e me interesso muito por esses assuntos, gostaria que se alguém já formado nesta área me ajudasse com dicas e alguns artigos sobre a profissão e também sobre como lidar com esse e outros tipos de situações.
Desde já agradeço

giovanna.g.goncalves@gmail.com

Anónimo disse...

É muito confortante ler esses depoimentos e vermos que não somos os únicos a passar pelo problema.Também tenho uma filha no 1 ano, que está sendo alfabetizada e ela tem encontrado muitas dificuldades na escola, pois parece que vive na lua.Em casa, tento manter a calma,mas quase sempre perco a paciência com ela.É um desafio para nós pais conviver com isso e ajudar nossos filhos da melhor maneira.Nesse momento eles precisam mais do que nunca do nosso apoio, mas confesso que é difícil mesmo.Que Deus possa nos ajudar dando-nos o amor e a paciência sem medida!

Anónimo disse...

Olá pessoal, para começar gostei muio do seu trabalho aqui!
Olha só gente (Comentaristas), não sou adulto,sou apenas uma mera criança que acha que está com "Deficit De Atenção".
Mas o que eu realmente acho é que ser mãe deve ser uma coisa maravilhosa assim como pai.
As crianças que são inteligentes mas não tanto como as outras devem ser presenteadas com á atenção de vocês que contém a função de pais. Ter conhecimento de que seus pais te amam e estão tentando fazer o possível para ajuda-los mas não dando inteligencia artificial mas inteligencia que eles mesmos desenvolvam.

Resumindo - Ajudem as suas crianças, pois quando vocês sentirem a emoção de receber um boletim bom saberem que aquelas notas foram com seu trabalho!
Então não criem inteligencias artificias para seus filhos, façam a inteligencia! Tenho uma dica: Ponham em uma "banca" ou lugar que seus filhos desenvolvam sua inteligencia, ajudou demais para mim...



Grato por lerem essa mensagem

(Feito por uma criança)
Qualquer erro não comentem!



Levem esse conceito pelo resto de suas vidas e acho que seus filhos também levarão!
Sigam esse conselho, entendo as crianças pois eu sou uma também!




(Tenho apenas 12 anos e graças ao meus pais sei escrever, digitar e inúmeras outras coisas, fação que nem eles.)


Fim de mensagem...

Anónimo disse...

Olá pessoal, para começar gostei muio do seu trabalho aqui!
Olha só gente (Comentaristas), não sou adulto,sou apenas uma mera criança que acha que está com "Deficit De Atenção".
Mas o que eu realmente acho é que ser mãe deve ser uma coisa maravilhosa assim como pai.
As crianças que são inteligentes mas não tanto como as outras devem ser presenteadas com á atenção de vocês que contém a função de pais. Ter conhecimento de que seus pais te amam e estão tentando fazer o possível para ajuda-los mas não dando inteligencia artificial mas inteligencia que eles mesmos desenvolvam.

Resumindo - Ajudem as suas crianças, pois quando vocês sentirem a emoção de receber um boletim bom saberem que aquelas notas foram com seu trabalho!
Então não criem inteligencias artificias para seus filhos, façam a inteligencia! Tenho uma dica: Ponham em uma "banca" ou lugar que seus filhos desenvolvam sua inteligencia, ajudou demais para mim...



Grato por lerem essa mensagem

(Feito por uma criança)
Qualquer erro não comentem!



Levem esse conceito pelo resto de suas vidas e acho que seus filhos também levarão!
Sigam esse conselho, entendo as crianças pois eu sou uma também!




(Tenho apenas 12 anos e graças ao meus pais sei escrever, digitar e inúmeras outras coisas, fação que nem eles.)


Fim de mensagem...

Nádia disse...

Olá pessoal, eu assim como vocês tenho um filho que tem dificuldade de aprender e é uma criança muito teimosa e desafiadora, tanto em casa como na escola. Percebi desde que ele tinha uns 2 anos e meio que enquanto todas as outras crianças sabiam as cores ele errava tudo, apesar de esforços para que ele aprendesse, então comecei a procurar ajuda médica para ele. Hoje ele tem 6 anos, está no 1° ano, não consegue acompanhar a turma, escreve muito mal, na maioria das vezes começa a escrever e pára, não sabe ler, confunde letras, confunde números, só escreve se eu estiver perto dele dizendo as letras e escrevendo em papel à parte como é aquela letra. Também é rejeitado onde chega, na escola diz que ninguém gosta dele, diz que gostaria de sair da escola, não tem amigos.A maioria das crianças se aproxima dele por causa dos brinquedos dele, e não dele próprio. Eu imaginava que ele tinha TDAH, mas uma nova neuro-pediatra com quem ele vem se acompanhando (muito bem recomendada) disse que esses diagnósticos são demorados,e para completar ele apresenta sistomas de Transtorno Desafiador de Oposição, que se não for tratado de forma correta pode evoluir para Transtorno de Conduta (delinquência juvenil). Procuro lidar com ele da melhor maneira possível, mas nem sempre consigo. Bjo a todos e FORÇA!!!

patricia disse...

oi meu nome é Patrícia já vim a varios anos nessa busca interminavel por soluções e hoje depois da vinda do neuro recebi essa informacao que para mim foi uma bomba , tenhoum filho de 9 anos e a muito tempo ja luto com essa dificuldade, ja passamos por 5 escolas e ele nao consegue acompanhar, notas vermelhas todos os anos é frustante para eles, pois se esforçam mas não conseguem, o médico quer começar um tratamento com ritalina, mais estou muito insegura e apreensiva,por favor se tiverem alguma informacao por favor me ajuem...

lalaferraz disse...

Não serve de consolo ver tanta gente sofrendo com o mesmo problema. Acho mesmo desesperador.
Também tenho uma filha com TDA, e embora, graças a Deus, não tenha hiperatividade, a falta de atenção é sem explicação.
Ela consegue se virar na escola, com algumas notas nem tão altas assim, apesar da média na sua escola ser 7.
Mas esse mérito não é só dela.
Com 15 anos, ela não entende o que significa comprometimento com nada.
Com tarefas sempre esquecidas de serem anotadas, com horário então, é sem explicação. NUNCA, mas NUNCA mesmo conseguiu me transmitir um recado sequer: De cliente, de amigos, de escola... nenhum.Não consegue tbm manter nenhum tipo de relacionamento com os amigos. Está sempre sozinha. Mudei de escola, pois achei que sofria de bullyng, que nada, infelizmente é ela quem aos pouquinhos vai se isolando dos amigos. Ninguém a convida pra nada, não vai a uma festa de escola, de aniversário da mesma turma, nada. Muito triste, sofro muito, pq minha filha é maravilhosa, carinhosa, educada, bonita e infeliz, por mais que me mate ela não é feliz.
Sou obrigada a brigar e chamar sua atenção 24 hrs por dia, pois ela só sai do lugar assim. Extremamente cansativo, exaustivo para uma relação de mãe e filha.
levei a o m´édico que receitou a Ritalina. Saí de lá sentindo todos os meus problemas resolvidos. Supresa!!! Ela é completamente alérgica ao medicamento. Ficou toda empolada e vermelha, e com coceiras em todo o corpo. Quase morri!!
Não sei mais o q fazer... Alguém por favor pode me ajudar??????????

lisiane disse...

ola! minha filha tem 7anos e tem deficie de atençao começou hoje o tratamento com ritalina eu e medico estamos bem confiantes ; e esperamos otimos resultados , fiquei chocada com o depoimento de algumas maes q se deixaram levar pelo cançaso e quase estao desistindo de seus filhos, se nos como pais não acolhermos nossos filhotes quem o fara? para defender minha filha eu viro onça! para ender melhor como lidar com ela como fazer com q ela absorva as informaçoes vou fazer um curso e voltara estudar e me formar em magisterio ja tinha paixão pela profisão agora mais ainda naõ vou desistir jamais de minha filha a amo com toda minha força luto e lutarei sempre por ela passaremos juntas por esse obstaculo e com muita fé em deus chegaremos no final cem grandes cicatrizes, minha filha ainda não entende muito bem oq c passa mas ela tem uma grande confiança em mim e c eu não desistir ela não desistira com a minha ajuda ela realiza as tarefas com precisão e c sente feliz por ter conseguido fico feliz em vela brincando e apreciando sua inocencia c eu pudesse a colacaria de novo em meu ventre e a deixaria ali para sempre! para q nunca sofra nem passe contagimentos ela tambem usa oculos ja ouvimos de pessoas cem noção ; tadinha ! ela não encherga ! bobrizinha , minha filha me olha triste , porq pra ela o oculos nao é uma coisa ruim pelo contrario muito boa , ai o meu lado felina surge de dentro de mim e respondo para essas pessoas q naõ sabem q um apalavra mata e tambem levanta uma pessoa , Pior c fosse um adoença encuravel amnha ela pode deixar de usar; ela usa para enchergar melhor ! eu não tenho outro filho pretendo me dedicar só a ela vou trabalhar meio turno para melhor atendela ; obrigado por ler meu desabafo e c voce tambem tem um filho com qualquer tipo de deficie nao desista dele lembre q ele s´stem vc ! so confia em vc !

MC disse...

Tenho um filho de 8 anos com défice de atenção, mas sem hiperactividade. Apresenta também um problema de psicomotricidade (está a fazer terapia da motricidade).
Vive no mundo da lua, não se interessa por nada, os trabalhos de casa são uma luta, mas com muita paciência vai melhorando. Faz artes marciais que tem ajudado muito na concentração. Tem um problema de auto estima, sente-se inferiorizado em relação à irmã.É complicado para uma mãe ter uma filha mais velha que quase sem esforço tem tudo 5 e o mais pequenino que faz um esforço enorme e não deixa de ser um aluno mediano.Já melhorou muito, mas todos os dias tem que ser incentivado (muito reforço positivo).Adoro os meus filhos e nunca vou desistir de querer mais, de os ajudar mais (faço listas para que se organize)e de lhes dar muitos beijinhos...

Anónimo disse...

TENHO UMA FILHA COM ESSE PROBLEMA MEU MEDO MAIOR E O QUE VAI SER DELA NO FUTURO TUDO PARECE SER TÃO DIFICIL PARA ESSAS PESSOAS PRINCIPALMENTE NO MUNDO DE HOJE ELA ESTA NA JUVENTUDE NÃO GOSTO DE ESTUDAR SEMPRE ME PERGUNTO COMO VAI SER SOU MINTO FRUSTADA COM ISSO ME CULPO MUINTO ATE PORQUE E O UNICO CASO DA FAMILIA

janaina disse...

sou mae de uma menina linda de 8 anos,vinha reparando nela a dificultade de concentraçao ha um tempo e agitaçao resolvi ir a escola conversar com a professora que me indicou uma psicologa,ela faz sessao uma vez na semana e já melhorou em algumas coisas a psicologa ainda não deu um parecer,mas pelo que tudo que li e ja´escutei ela realmente tem deficit de atençao sempre quer fazer duas tres coisas ao mesmo tempo,ultimamente me culpo por ela ser assim pois e filha unica sempre muito protegida estou com ela 24 horas por dia as vezes penso que isso dificulta o crescimento dela mais o engraçado que ela tem boa memoria decora tudo com facilidade mas se pergunta depois de alguns dias já esqueceu tudo, troca muita letra ela está no 3 ano do EF até tira boas notas estou apredendo a lidar com ela pessoas com deficit de atençao são motivadas pelo elogio pelo carinho não gosta de ser precionada quando mais precionada mais errado faz,me sinto só pois o pai dela ao inves de me ajudar quando ela faz algo errado ele repreende ela dizendo que ela poderia ter sido melhor quer que ela seja melhor da classe e ela fica tristepeço a DEUS ttodos os dias para poder saber lidar com isso beijos e muita força para nós e para nossos filhos.meu janaina.elizabeth2003@gmail.com

regina disse...

ola meu nome é regina tenho um filho de 8 anos e um de 7 meu filho mais velho tem muita dificuldade e a profª
disse q ele tem dda(deficit de atenção)então ai começou toda a correria neuro,pisicologo,pediatra,escola,remedio e tudo q se tem q fazer.so q as vezes me sinto um lixo pois parece que não saimos do lugar coisas que ele fazia normalmente agora parece q a mais dificuldades ler e escrever é uma dificuldade e o que é pior meu marido não entende q ele tem essa dificuldade acho q ele não qer aceitar q o filho é diferente mais todos nos somos diferente de um geito ou de outro não é! ha momentos q eu perco a paciencia ate mesmo sem qerer pois o caminho é muito dificil e sou um ser humano falho eu o amo a cada dia mais so qero poder ajudalo mais tambem presciso de ajuda e auxilio para isso meu outro filho q é mais novo ja esta lendo e escrevendo bastante ai muitas vezes fica o sentimento de se eu elogiar de mais é ruim e se eu elogiar de menos tambem pois não qero q meu filho com dificuldade ache q ele é menos importante ou algo do tipo meu marido briga muito com ele ja espliquei q isso so piora mais ele diz q é preguiça,manha quaquer coisa pois ele ja esta sendo medicado indo no medico então nÃo tem porque das coisas q ele faz sabe a tanto para falar mas resumindo não escolhi ter um filho assim fui escolhida para ser mãe dele pois sempre tive orgulho dele pois ele sempre foi e é muito inteligente em coisas exatas ate é melhor q outras pessoas por ex. em matematica,em auxiliar o irmáo quando não estou perto e muitas outras coisas não vou dizer q é facil nem q vai melhorar de uma hora para outra q não prescisamos superar as lutas mais uma coisa é certa viveremos e seremos o mais feliz possivel quando apredermos mais e mais como lidar com a dificuldade q o dda nos impõe
obrigada a todos se alguem quizer conversar ou ate esta começando a lidar com o dda assim como eu entre em contato (regi.rara@hotmail.com)

Anónimo disse...

Olá, sou mãe de três filhos e o meu mais novo sofre de deficit de atenção, e além disso tem muita energia. E apesar de dificuladades que ele tem durante o dia a dia, creio como mãe não devemos desistir, e levarmos um dia de cada vez. Tenho procurado ajuda num psiquiatra infantil, e ele já fez Terapia da Fala, durante o dia corre mais ou menos devido ao medicamento, no final do dia é a explosão de energia lá em casa.
Como digo, um dia de cada vez...
Desejo a todos os pais, principalmente as mães, que são as que estão mais presentes, força e muita coragem.

Anónimo disse...

Ola pessoal!
Preciso de uma ajuda, não sei se meu filho tem defice de atenção, mais queria uma opinião.
Ele tem 9 anos, super inteligente, mais não consegue se concentrar, pois presta atenção em tudo ao seu redor, desde o amiguinho que esta conversando ao lado, como o lapi da outra amiguinha caindo. e por esse motivo vai mal nas provas.
O que escuto da professora é que ele é muito disperso, mais sabe a materia.
Não sei o qeu fazer ja dei varios castigo.
Se alguem tiver uma ideia ou uma opinião e quiser compartilhar comigo, ficarei agradecida.

Obrigada

Ana Maria

regiane disse...

bem paso pelo mesmo problema tenho 3 filhos e meu mais velho desenvolvel o transtorno sao cinco horas da manha e mais um final de atividades escolares e mais uma ves procuro ajudar meu filho da melor maneira possivel para nao perder o ano e ser alcançado pelos seus irmaos na escola bem ele ja faz tratamento com ritalina e melhorou positivamente nas materias menos em matematica que e seu bicho papao consegue aprender a materia mas na hora de ser avaliado nao consegue passar o que aprendeu para o papel sofro muito por ele ,ele tem aulas de reforço o pai o auxilia tem acompanhamento com profissional mas mesmo assim se ver perdido gostaria de estar no lugar dele para nao o ver sofrer tanto

Anónimo disse...

olá pessoal ,é triste essa situação,pois ,nós pais queremos ver nossos filhos felizes sempre dizendo coisas lindas que acontece na escola,amizades, brincadeiras,mas infelizmente,oque eles tem a dizer ,é que seus amiguinhos desfaz,criticam,zombam,desprezam,isso dói demais . Tenho uma filha de 9 anos esse ano ela vai ser reprovada estou triste,mas vou fazer oque.Ela apresenta dificuldades desde o primeiro ano já dei medicação e nada resolveu,passou por vários médicos,psicologo,psiquiatra,psicopedagoga,terapeuta ocupacional,mas infelizmente não deu nada certo.tomei uma decisão,vou lutar por ela mas com a força de Deus creio eu que ele vai me ajudar .Pois confie vocês também Deus tem poder para nos ajudar ,tudo vai passar eles vão amadurecer vamos ter forças,paciência e ama-los de todo o nosso coração independente da maneira que eles são .

Anónimo disse...

olá pessoal ,é triste essa situação,pois ,nós pais queremos ver nossos filhos felizes sempre dizendo coisas lindas que acontece na escola,amizades, brincadeiras,mas infelizmente,oque eles tem a dizer ,é que seus amiguinhos desfaz,criticam,zombam,desprezam,isso dói demais . Tenho uma filha de 9 anos esse ano ela vai ser reprovada estou triste,mas vou fazer oque.Ela apresenta dificuldades desde o primeiro ano já dei medicação e nada resolveu,passou por vários médicos,psicologo,psiquiatra,psicopedagoga,terapeuta ocupacional,mas infelizmente não deu nada certo.tomei uma decisão,vou lutar por ela mas com a força de Deus creio eu que ele vai me ajudar .Pois confie vocês também Deus tem poder para nos ajudar ,tudo vai passar eles vão amadurecer vamos ter forças,paciência e ama-los de todo o nosso coração independente da maneira que eles são .

Anónimo disse...

Tenho um filho com défice de atenção, desde quando ele era pequeno procurei ajuda, na escola ia de mal a pior só agora descobri uma escola que atende crianças e adolescente com este problema,o nome da escola é Paulicéia, fica no bairro do campo Belo

Anónimo disse...

tenho um filho com défice de atenção, na escola ele ia de mal a pior até que descobri uma escola no bairro do Campo Belo, que atende crianças com este distúrbio. O nome da escola é Paulicéia.

Anónimo disse...

Olá Dr. Bruno

Sou mãe de uma menina de 6 anos que está a ser tratada desde os 2 anos para Epilepsia - Ausências, também conhecido como "Mal Menor".
Desde os 5 anos percebemos que sofre tb de Déficit de Atenção mas sem Hiperatividade e que se veio a confirmar neste 1º período escolar.
Com ajuda do Neurologista e com o Pediatra resolvemos em conjunto medicá-la com Ritalina, estando a tomar à cerca de 1 mês. Neste momento estamos a tentar delinear um estratégia para que a distância que já existe em termos de evolução escolar relativamente aos seus colegas não se acentue ainda mais. Gosta de ter Apoio profissional, pelo que, agradecia imenso se nos puder indicar contatos de psicólogos ou clinicas aqui na Zona de Odivelas/Loures especializados nesta área. Muito Obrigada.

Anónimo disse...

Olá Dr. Bruno

Sou mãe de uma menina de 6 anos que está a ser tratada desde os 2 anos para Epilepsia - Ausências, também conhecido como "Mal Menor".
Desde os 5 anos percebemos que sofre tb de Déficit de Atenção mas sem Hiperatividade e que se veio a confirmar neste 1º período escolar.
Com ajuda do Neurologista e com o Pediatra resolvemos em conjunto medicá-la com Ritalina, estando a tomar à cerca de 1 mês. Neste momento estamos a tentar delinear um estratégia para que a distância que já existe em termos de evolução escolar relativamente aos seus colegas não se acentue ainda mais. Gosta de ter Apoio profissional, pelo que, agradecia imenso se nos puder indicar contatos de psicólogos ou clinicas aqui na Zona de Odivelas/Loures especializados nesta área. Muito Obrigada.

Psicólogo Bruno Pereira Gomes disse...

Boa tarde.

Passa a indicar o contacto da nossa instituição, no concelho de Odivelas:

INSTITUTO PORTUGUÊS DE PEDAGOGIA INFANTIL - Póvoa de Santo Adrião 219371527

Com os melhores cumprimentos

Anónimo disse...

meu filho tem 9 anos e desde pequeno estudou numa escola que jamais viu nele esse problema onde tarde descobri e estou correndo atrás , ela esta com nove anos e esta na segunda serie e a escola que o aceitou agora não quer mais dizendo que a escola não tem estrutura. não sei o que fazer. graças a Deus eu consegui um psiquiatria para avaliar ele e verificar o que eu posso fazer e como devo seguir e meu filho faz psicologo desde o inicio do ano passado. na verdade estou muito confusa e sozinha, pois o pai dele pois somos separados não aceita o que o filho possa ter então torna se difícil

Katia Figueiredo disse...

Bom dia pais, meu filho tem PHDA, a médica dele receitou "CONCERTA" li vários artigos sobre esta medicação e entrei em panico. não sei até que ponto isso vai ajudar meu filho ou prejudica-lo. Se alguém tiver alguma experiência com essa medicação por favor entre em contacto comigo.
souzafkc@msn.com
obrigada

Cristina Abreu disse...

Bom tarde,

Somos pais de uma criança de 7 anos, o Hugo, e temos vindo a enfrentar alguns problemas particularmente nos dois últimos anos, com o ingresso na escola primária.

Embora o Hugo seja uma criança que obtém excelente resultados na escola, estando inclusivamente presente no quadro de honra de um estabelecimento de ensino com mais de 600 alunos, manifesta grande insegurança relativamente aos resultados escolares, afirmando repetidas vezes que receia vir a "chumbar" o ano, e refugiando-se com frequência no choro quando acha que não consegue atingir os objectivos que lhe são pedidos, muito embora, e repito, de uma forma geral os atinja sem esforço (pelo menos, aparente).

Esta situação causa-lhe sofrimento e também a nós nos desgasta pela constante necessidade de lhe fornecer apoio e reforço positivo, que de resto pouco ou nenhum resultado parece surtir.

É ainda uma criança que tem grande dificuldade em estar ocupada sozinha, exigindo a nossa constante atenção. Pelo facto de ser filho único e muito desejado, nunca lhe negámos essa atenção o que neste momento começamos a questionar ter sido uma boa opção...

Além do mais, parece ter uma reserva inesgotável de energia, apesar de praticar diversos desportos numa base diária.

Esta situação começa a ser insustentável, e pensamos que talvez necessitemos de ajuda profissional tão urgente quanto possível, no entanto estamos algo perdidos sem saber por onde começar...

Agradecemos a vossa orientação

João A. Paulo / Cristina Abreu

Anónimo disse...

Pois de facto ja nao e primeiro comentario deixei aqui,sem qual quer dita.J passaram 2 anos nada feito men melhoras ,agora no 5 ª pepois de tantas negativas ,escola e professores deram mais atençao ao caso.Pois no colegio tendo alunos notas baixas la pensaram,temos ver o que se passa !
Pois levei a minha filha a outro pedopsiquiatra co testes ja feitos pela pisicolga do colegio onde sua presentagem (Q.Itotal 72)com dificuldades especificas de aprendizagem.Encontrou se um buraco fundo tumel ,e ser provavelmente benefica a integraçao no DL 3/08 sendo assim com a ajuda dea medicaçao concerte tudo pode melhorar ,sendo esta medicaçao mais duradora 10h+-.Poia munca recebia aqui algo me podesse ajudar ,pelo ja li a pouca informaçao ,assim como podemos ajudar nossos filhos ter futuro melhor ,tenho muitas dificuldades mas o que vale nisto e o dinheiro e so sair para ver pouco de alegrias minha casa com minha filha ,vai ser dela nos pais faltamos isso me preocupa por isso pago dinheirao no colegio so para proteger ,mas mesno assim o apoio e pouco ,que sera outras crinanças nas escolas plubicas ,iste assunto devia ser mais falado ,ter bulsas de estudo mesno em consultas de medicos e medicaçao.TEMOS FALAR MAIS SOBRE DEFICE ATENÇAO.

Anónimo disse...

Olá, a todos os pais preocupados com os filhos. Venho aqui incentivar todos vcs. a não desistirem de seus anjinhos, pois tenho 3 filhos, menino 22, menina 21, menina 19. Meu menino talvez por descuido meu, não percebi logo o problema então se envolveu com porcarias e graças a DEUS descobrimos logo,foi difícil mas conseguimos vencer já o DÉFICE foi prejudicado. Tratamos com psiquiatra e psicologo, nós também precisamos de consultas para trabalhar com ele em casa. Meu querido filho se encontra no quinto ano de engenharia de controle e automação e está com muitas DP. não sabe bem o que quer da profissão, fomos orientados a muda-lo de faculdade, para uma mais forte que exija mais dele, tenho duvidas se devemos fazer isso, pois a faculdade é em São Paulo muito longe de casa. Será que isso ajudaria ou vai prejudicar doutor? Preciso de mais concelhos profissionais. se alguém puder me ajudar, OBRIGADA.

Alexandre Brito disse...

No seguimento deste artigo gostaria de partilhar um website que eu (webdesigner) e a minha namorada (psicologa infantil) criamos exactamente sobre o assunto de economia de fichas para criancas.

http://rewardkat.com/pt/

Tem bastante informacao e material grátis (tudo em portugues).

Espero que gostem,
cumprimentos,
Alexandre

Anónimo disse...

Tenho um filho de 9 anos com deficit de atenção. Ele aprende com uma facilidade incrivel mas é desatento. Quero iniciar um tratamento com homeopatia. Alguem já tentou algum tratamento alternativo?

Anónimo disse...

BOA TARDE
O MEU FILHO TEM 9 ANOS
E TOMA RUBIFEN PARA CONSEGUIR ASSIMILAR OS CONTEÚDOS DADOS NA ESCOLA E CONTROLAR A SUA IMPULSIVIDADE NA RELAÇÃO COM AS OUTRAS CRIANÇAS. DESCOBRI NAS MINHAS PESQUIZAS
UMA TERAPIA INOVADORA DENOMINADA NEUROFEEDBACK, MUITO USADA , há MUITO TEMPO, NO BRASIL, ESPANHA E NOUTROS PAISES , COM RESULTADOS BASTANTE BONS.
EXISTE MUITO POUCAS CLINICAS EM PORTUGAL A USAREM ESTA TERAPIA E É BASTANTE CARA (55 EUROS) POR SESSÃO, UMA VEZ QUE IMPLICA UMA PERIODICIDADE SEMANAL 2X/SEMANA DE PREFERÊNCIA E UM NÚMERO MÍNIMO DE 30 SESSÕES, PODENDO PROLONGAR-SE DURANTE MAIS DE 6 MESES, MEDIANTE A RESPOSTA DA CRIANÇA
CONCLUI NAS MINHAS PESQUIZAS NA INTERNETE QUE DEVE SER UMA EQUIPA COM FORMAÇÃO EM NEUROLOGIA E PSICOLOGIA A MINISTRAR ESSA TERAPIA.
Creio SER IMPORTANTE SER FEITO UM ELETROENCEFALOGRAMA INICIAL
ALGUÉM SABE DE ALGUM CONTATO EM LISBOA DE CLÍNICA A USAR ESTA TERAPIA.

SÓ CONHEÇO A TOPCLINICAL EM LISBOA E MAL CHEGA PARA AS ENCOMENDAS. MARIA

Anónimo disse...

não tenho certeza ainda mas meu filho não presta a atenção em aula achamos que ele sofre de Déficit de Atenção gostaria de não utilisar medicamentos e sim tratamentos convencionais.cera que alguém pode me ajudar,meu filho tem 10 anos e a professora diz que ele se distrai por qualquer motivo não copia nada e conversa muito oque devo fazer adorei o site me ajudou em algumas das situação..

Anónimo disse...

não tenho certeza ainda mas meu filho não presta a atenção em aula achamos que ele sofre de Déficit de Atenção gostaria de não utilisar medicamentos e sim tratamentos convencionais.cera que alguém pode me ajudar,meu filho tem 10 anos e a professora diz que ele se distrai por qualquer motivo não copia nada e conversa muito oque devo fazer adorei o site me ajudou em algumas das situação..

Anónimo disse...

O problema q vejo e que tomar a ritalina agrada a escola, os torna uns robozinhos. Essa medicação e c danosa ao coração podendo levar a morte súbita.

Monica Roberta Martins medina disse...

Estou muito preocupada com meu filho, ele tem 15 anos e hà 04 anos faz tratamento com neurologista, está fazendo uso do Trofanil 25mg. Até o 9°ano, mesmo com dificuldades ele conseguiu passar de ano (incluindo aulas de reforço). Este ano ele foi para o 1º ano do ensino médio, estuda numa escola muito apertada, e já começou o ano com várias notas perdidas, não sei se vale a pena manter ele nesta escola, já propus a ele mudar de escola mas ele não quer. Sofro ao ver ele estudando tando, inclusive nos finais de semana, e não atingir as médias necessárias, o mais importante para mim é ver ele com saúde, feliz e aproveitar a juventude dele, que passa muito rápido.Estou pensando em sugerir para a médica dele mudar a medicação, passar para ritalina, mas não sei se ela vai achar melhor, nem eu mesma sei se será o melhor, pois não tenho conhecimento do tratamento com ritalina, tenho medo de trazer algum dano para sua saúde. Por favor se algum estiver nesta situação por favor me mande um e-mail. isamedina11@bol.com.br

Monica Roberta Martins medina disse...

Estou muito preocupada com meu filho, ele tem 15 anos e hà 04 anos faz tratamento com neurologista, está fazendo uso do Trofanil 25mg. Até o 9°ano, mesmo com dificuldades ele conseguiu passar de ano (incluindo aulas de reforço). Este ano ele foi para o 1º ano do ensino médio, estuda numa escola muito apertada, e já começou o ano com várias notas perdidas, não sei se vale a pena manter ele nesta escola, já propus a ele mudar de escola mas ele não quer. Sofro ao ver ele estudando tando, inclusive nos finais de semana, e não atingir as médias necessárias, o mais importante para mim é ver ele com saúde, feliz e aproveitar a juventude dele, que passa muito rápido.Estou pensando em sugerir para a médica dele mudar a medicação, passar para ritalina, mas não sei se ela vai achar melhor, nem eu mesma sei se será o melhor, pois não tenho conhecimento do tratamento com ritalina, tenho medo de trazer algum dano para sua saúde. Por favor se algum estiver nesta situação por favor me mande um e-mail. isamedina11@bol.com.br

Valeria Maria Torres disse...

Tenho uma filha de 9 anos que tem esse transtorno, gostaria de sugestões de atividades para que possa ajudar em casa. Ela passa a maior parte do tempo vendo TV. ela chega em casa as 11:30.

christiane mansur disse...

agradeço a todos que compartilharam suas vivencias aqui pois eu tbm tenho uma filha com tda e o meu caçula começou a me preocupar depois de 4 anos com as mesmas reclamaçoes de agitaçao... eu nao havia cogitado a possibilidade dele tbm ter mas marquei neurologista para conversar. a tarefa de mae sempre me pareceu mt dificil, msm antes de engravidar sem planejamento, aos tres anos de casada e estabilizada... mas tornou-se em dias de panico logo que os sintomas começaram a aparecer. Minha gatinha, ja adolescente hoje, tomou ritalina por tres anos, fez terapias com psicopedagoga, psicologo e terapia ocupacional todo esse tempo e tbm frequentou as salas de recurso das escolas por onde passou. ela nao gostava de tomar remedios e nem da sala de recurso, nao gostava pq era rotulada de especial. mas fez tudo e hoje ja teve alta de tudo. mas as dificuldades ainda persistem. alias, ela herdou a bençao de mim, q tenho como um malabarista equilibrar nossas dificuldades. entrei no site a procura de dicas que acrescentassem ajuda. encontrei mais do qu procurava... leninha, força na peruca! a todas nos, q nao estamos sos, nao somos monstrons qndo nos cansamos e choramos e pensamos q nao daremos conta! estamos dando conta, gente! todos os dias lutamos, procuramos como ajudar... e olha q aki e cego guiando cego!!! qndo vi o relato de uma mae querendo ajudar o filho na facul me dei conta de mim msm q acabei o curso ha duas semanas, em universidade federal... ele vai consguir, maezinha. a gente vai mais devagar mas chega! é mt doloroso sim, sentir que tem potencial, conhecer a força e demorar tanto tempo pra chegar onde se quer. minha familia nunca ouviu falar disso e nao pude ter qqr ajuda profissional, mas o amor deles e o papel de pais apaixonados, simples, sem estudo, ainda hoje me sustentam. hoje tenho 40 anos, minha boneca tem 13, a gente se cansa mt mas nao pára nunca! obrigada a todos pela partilha de sentimentos, me sinto mais forte e com mais coragem.

Edson Cruz disse...

Edson.
Olá a todos!
Tenho uma filha de 10 anos, a qual passa pelas mesmas dificuldades. Temos mantido controle sob medicação. A melhor forma é: procurar um médico nesta área, que dará prescrição, carta de orientação e acompanhamento para a escola do filho (a). A partir daí, ver se realmente a escola ou os professores, se não estão sobrecarregando o aluno (paciente), de igual aos demais, lembrando! eles precisam ter tratamento igual, mais de forma diferenciada e discreta. Sempre precisam ser advertidos (Os professores), pois se esquecem, e começam a chamar os alunos de "atrasados, você sempre se atrasa!, pior, e na frente dos outros alunos. O caso é sério, se não elas vão crescer com uma espécie de Bulling ignorante. Em casa, você não vai medica-lo direto, só antes de sair para a escola. Por isso, é necessário muita paciência, regras, fazer uma espécie de agenda diária para a criança, dar um relógio, afim de que ela aprenda a se comportar dentro de horários, e muito amor. qualquer dúvida, só entrar em contato. 47-8418-3333, Brasil, SC.

dondoca disse...

Um caminhoneiro foi ao psicólogo do filho e ouviu o diagnóstico de déficit de atenção! Este, sendo uma pessoa muito simples entendeu que o filho estava com pouca atenção. Diminuiu o trabalho no caminhão e passou a prestar mais atenção no filho. E o filho sarou!
Só o amor constrói!!
Fiquem com Deus e sintam-se amados por Ele!!Muuuuito amados!!!

Anónimo disse...

eu nao entendo mto sobre o deficit de atençao, nao sei bem como identificar, pois imagino que nao se restrinja ao fato de crianças terem dificuldade de aprendizado. O caso da minha filha, eu nao sei exatamente o que é. Ela aprende tudo mto facilmente, mas ela fala demais, nao cala um segundo e fica mto dispersa na escola. Com isso, ela deixa atividades sem fazer e seu rendimento tem sido pessimo ultimamente.Nao presta mta atençao em detalhes, como por exemplo, algo que cai perto dela. Nao sei como lidar com isso. Alguem poderia me orientar?

Anónimo disse...

Sou mãe de uma menina com 7 anos a fazer 8 em Dezembro. A minha filha tem défice de atenção diagnosticado há 1 ano, faz terapia 1 vez por semana e é bem acompanhada no colégio que frequenta. Desde que foi diagnosticada e começou as terapias (toma ritalina), mudou radicalmente. Num ano letivo teve uma evolução extraordinária. Trabalha muito, é bastante esforçada e passa as férias todas a estudar, pois como sabem estas crianças não podem deixar de trabalhar. No inicio fiquei assustada, mas agora e apesar de estar "atrasada" em relação aos colegas estou mais otimista, pois sei que com esforço e ajuda, ela vai conseguir atingir os seus objetivos. Não desesperem pais, tem que ter paciência e ajudá-los, pois eles precisam de nós e nunca devemos transmitir-lhes negatividade.

Anónimo disse...

Eu tenho 40 anos, e acho que tambem sou TDAH...minha filha presumo ue tb seja, ainda nao foi diagnosticado, mas lendo a publicação ela se encaixa em tudo...e eu em algumas partes, queria saber como faço pra tratá-la se tambem sou igualzinha? Alguem pode me dar um conselho?
Obrigada
Atenciosamente
Cinzia
bebe.passinho@bol.com.br

Anónimo disse...

Tenho um menino com 8anos ele está no 2ºano chumbou o ano passado, penso que ele tenha o chamado défice de atenção, e ao ler os comentários de alguns pais ainda tenho mais a certeza, fui ao medico de família com a criança e onde expliquei o caso e ele ao ver o comportamento do meu filho (irrequieto, sem prestar atenção, nem ao que se falava, nem as chamadas de atenção, não liga ao tá quieto nem ao não mexe) chegou logo a excelente conclusão que a criança não tem nada sem ser a falta de regras e de educação. Entretanto colocamos regras para tudo e castigos nas ferias esteve um mês em campos de férias para segundo o medico ganhar autonomia. Fim das férias e após estas começa o martírio da escola. Infelizmente continua tudo igual na escola não presta atenção a nada, não faz nada, não passa nada do quadro, em casa chega a estar 3 4horas para completar os trabalhos mas sempre comigo por trás de 5 em 5minutos faz os trabalhos... faz os trabalhos, ou então tenho de estar ao pé dele... Ou seja desespero porque sei que se passa algo com o meu filho e não tenho qualquer apoio o medico de família, nem um pedido de testes É ZERO. Na escola pior ainda como zumbou de ano tem uma professora nova que logo no primeiro dia de aulas e mesmo em frente da criança fez comentários menos próprios, que ele este ano tinha de deixar de ser mole e começar a trabalhar por não tem nem vai ter tempo para ele, pois a crianças que vêm já com ela do ano passado que essas sim precisão da ajuda e da atenção dela, eu obvio passei-me. Ou seja ajuda nem é o caso mas um pouco de compreensão por parte dos professores não existe. Alias nem sei porque escolhem esta como profissão para exercer uma vez que não gostam de ajudar as crianças a aprender. Não, é o ensino a área que que se enquadram os professores? Pois acho eu penso que não!!!
Gostam só de dar a matéria que são obrigados a lecionar pelo ministério da educação e só gostam das crianças que aprendem por si e as quais não necessitam de um esforço por parte dos professores. E a professora a meio do dia ainda me telefona para informar que a criança não copiou o que estava no quadro perguntando-me a mim o que que há-se fazer com ele??? Não sei ela é que andou a estudar para ensinar e MOTIVAR as crianças, ele em casa com muita paciência com um método ou outro vai cumprindo minimamente com o que lhe é exigido. AMO o meu filho mais que tudo sofro por ele, e Sofro por mim porque não o consigo ajudar mais, e é uma frustração imensa. Mas ao contrário de outras crianças o meu filho tem imensos amigos muitos mesmo mas mesmo por ele ser assim distraído falador muito mesmo (tem de ser sempre o centro das atenções) e é uma criança muito ... muito feliz
Obrigado pela oportunidade de desabafar, e força a todos

filipa disse...

Tenho um menino com 8anos ele está no 2ºano chumbou o ano passado, penso que ele tenha o chamado défice de atenção, e ao ler os comentários de alguns pais ainda tenho mais a certeza, fui ao medico de família com a criança e onde expliquei o caso e ele ao ver o comportamento do meu filho (irrequieto, sem prestar atenção, nem ao que se falava, nem as chamadas de atenção, não liga ao tá quieto nem ao não mexe) chegou logo a excelente conclusão que a criança não tem nada sem ser a falta de regras e de educação. Entretanto colocamos regras para tudo e castigos nas ferias esteve um mês em campos de férias para segundo o medico ganhar autonomia. Fim das férias e após estas começa o martírio da escola. Infelizmente continua tudo igual na escola não presta atenção a nada, não faz nada, não passa nada do quadro, em casa chega a estar 3 4horas para completar os trabalhos mas sempre comigo por trás de 5 em 5minutos faz os trabalhos... faz os trabalhos, ou então tenho de estar ao pé dele... Ou seja desespero porque sei que se passa algo com o meu filho e não tenho qualquer apoio o medico de família, nem um pedido de testes É ZERO. Na escola pior ainda como zumbou de ano tem uma professora nova que logo no primeiro dia de aulas e mesmo em frente da criança fez comentários menos próprios, que ele este ano tinha de deixar de ser mole e começar a trabalhar por não tem nem vai ter tempo para ele, pois a crianças que vêm já com ela do ano passado que essas sim precisão da ajuda e da atenção dela, eu obvio passei-me. Ou seja ajuda nem é o caso mas um pouco de compreensão por parte dos professores não existe. Alias nem sei porque escolhem esta como profissão para exercer uma vez que não gostam de ajudar as crianças a aprender. Não, é o ensino a área que que se enquadram os professores? Pois acho eu penso que não!!!
Gostam só de dar a matéria que são obrigados a lecionar pelo ministério da educação e só gostam das crianças que aprendem por si e as quais não necessitam de um esforço por parte dos professores. E a professora a meio do dia ainda me telefona para informar que a criança não copiou o que estava no quadro perguntando-me a mim o que que há-se fazer com ele??? Não sei ela é que andou a estudar para ensinar e MOTIVAR as crianças, ele em casa com muita paciência com um método ou outro vai cumprindo minimamente com o que lhe é exigido. AMO o meu filho mais que tudo sofro por ele, e Sofro por mim porque não o consigo ajudar mais, e é uma frustração imensa. Mas ao contrário de outras crianças o meu filho tem imensos amigos muitos mesmo mas mesmo por ele ser assim distraído falador muito mesmo (tem de ser sempre o centro das atenções) e é uma criança muito ... muito feliz
Obrigado pela oportunidade de desabafar, e força a todos

Anónimo disse...

A minha mae nao quer saber de mim ela so quer saber da minha irm com 6anos ela bate me eu tambem e depois minha mae ralha comigo o que devo fazer

Anónimo disse...

Olá meu nome é Maria José, tenho um filho de 14 anos diagnosticado com deficit de atenção, faz uso do medicamento "concerta". Como tantos depoimentos lidos sintome culpada por várias situações vivida pelo meu filho. Vivo em sua função, aquí em casa tem horas que penso que vou ficar louca, brigo, grito e as vezes chego bater nele, sei que isso é errado, mas não senti muita diferença com esse remédio. Tem dias que ele esta bem e outros não, tenho muito medo deste medicamento que poça vir causar transtornos piores.Obrigado.

Anónimo disse...

eu passo por isso tambem meu filho vem mudando sua atencao por ele faco pedidos na oracao a Deus dono da inteligencia e quem da capacidade ao seres humanos Deus querendo tudo muda ao nosso favor, ore acreditando que vai vim a solucao para seu problema na hora certa acontecera a solucao de sua causa.

Marília Gaspar Magnane disse...

Percebi que realmente sempre me faltou concentração em tudo o que ía fazer, comecei a perceber quando meu filho estava no primeiro ano (6anos)
e sempre vinha bilhete da professora no caderno "ultimo a terminar" , "nao terminou no tempo previsto", "terminar em casa" e a auto estima dele esta baixissima, porque eu via aquilo no caderno e brigava muito com ele, fui falar com a professora, a qual me disse para levá-lo ao psicologo ou neurologista, ele fez eletro e nada, a medica neuro-infantil deu uma ficha para professora preencher, mesmo assim disse que não se enquadrava como DTAH, ou então, era muito fraco o enquadramento. Pedi a medica por favor, me receitar alguma coisa, pois meu filho estava com auto estima muito baixa por sempre ser o ultimo a terminar tudo. Ela me receitou Ritalina para ser tomado 1 vez ao dia, 1 hora antes da escola e nao tomar final de semana e feriados, ferias, era somente para escola. Primeiro, foi dificil eu dar à ele, não queria dar um remédio controlado para meu filho de 6 anos, após quebrar este paradigma de que meu filho não tinha problema, resolvi dar o remédio. Fiquei surpresa com o resultado, "nunca mais" ele foi o ultimo a terminar, nem trouxe pra terminar em casa, a vida dele mudou muito e a minha tambem. É claro, não é o primeiro aluno da sala, mas tem a médias boas. Mensagem: Temos que ir atrás de tudo porque nossos filhos são nossos tesouros e Deus nos deu para cuidarmos deles em todos os aspectos.

marcos rogerio disse...

Boa tarde, meu nome e marcos rogerio tenho um menino com os mesmos sitomas de tdah, para mé nao e problema e si mais um comhecimento, da vida a questao gue so estamos preparados para o sucesso, o prazer social a melhor maneira de lidar com esses sitoma amor, carinho, compreensao atividades fisicas karate, judo,etc so remedios nao resolve tem uma cartilha gue se chama caminho suave para crianças com metodo tradicional.tem uma oraçao em salmo cap.4 ves 8 e isaias cap.41 ves.10 que ensinei a meu filho foi uma dadiva de deus tenha fé pesse nisso.muito obrigado.

Anónimo disse...

Boa Tarde,minha filha de 12 anos sofre e hoje pediu para sair da escola,pois a prova tinha valia 10 e ela tirou 1. Meus Deus só ele para dar paciência e sabedoria para lhe dar com esta situação.vou tentar mais uma vez voltar no medico,pois ela toma Ritalina e nada adianta. E muito ruim ver sua filha sofrendo,quando tinha 8 anos descobrimos que ela tinha o Deficit de Atenção e ate hoje ela não consegue ler, fazer conta de matemática, não sabe interpretar um texto.hoje estou em lagrimas escrevendo esta msg,pois não sei mais o que fazer para ajuda-la!

Anónimo disse...

Boa Tarde,minha filha de 12 anos sofre e hoje pediu para sair da escola,pois a prova tinha valia 10 e ela tirou 1. Meus Deus só ele para dar paciência e sabedoria para lhe dar com esta situação.vou tentar mais uma vez voltar no medico,pois ela toma Ritalina e nada adianta. E muito ruim ver sua filha sofrendo,quando tinha 8 anos descobrimos que ela tinha o Deficit de Atenção e ate hoje ela não consegue ler, fazer conta de matemática, não sabe interpretar um texto.hoje estou em lagrimas escrevendo esta msg,pois não sei mais o que fazer para ajuda-la!

Anónimo disse...

Bom dia, sou pai de um menino de 6 anos que está no primeiro ano do ensino fundamental, todos os dias vem um chamado na agenda da professora que ele é sempre o ultimo a terminar a tarefa e que às vezes atrapalha as outras crianças no andamento das atividades, não sabemos o que fazer, alias nem a professora, pois não se concentra nas atividades e só faz quando quer. Ele já faz terapia desde os 4 anos e foi diagnosticado com "déficite de atenção". o que devemos fazer para que não aconteça mais isso, me ajudem!!

obrigado!!!

maria trindade disse...

Olá tenho um filho de 8 anos e levei o neuro pediatra e pelo sintomas que ele apresenta ela deu que era defet de atenção e de comportamento. Eu vou falar que já não sei que fazer para acabar com tanta distração.já vou começar levar ele no psicólogo e estou a procura de um psicopedagogo que é mais dificil aqui na minha cidade .Queria que vcs me ajudasse com algum material para que eu possa trabalhar com ele em casa ate eu conseguir um próficional da área.Pois ele esta no 3ªano e do jeito que esta vai acabar repetindo de ano.

Sonia Mara Santos disse...

Querida Shirley minha filha tem 10 anos e a três foi diagnosticada com TDAH deficit de atenção com hiperatividade, venho tratando desde já mas te digo não é fácil estou levando-a a vários especialistas e estou descubrimdo que ela pode ser Disléxica. Vá a vários especialistas como psicopedagoga, psicóloga, fonoaudióloga, neurologista, psiquiatra, todos esses especialistas vão te ajudar a dar o diagnóstico. Leia sobre o assunto, intereja com outras mães, aprenda, vá a palestras tudo isso vai melhorar a convivência com seus filhos. Espero ter ajudado

sandra disse...

Olá, meu nome é Sandra e li vários destes comentários , me identifiquei com muitos, meu filho tem 7 anos e está no segundo ano, não consegue acompanhar a classe, não consegue ainda escrever e ler, é desatento, as notas são baixas, eu o amo muito, porém ele faz terapia com psicologo a três anos, pratica judô, futebol, aula de circo e se sai bem, é esperto, tem muitos amigos, porém ele me confronta, pois, preciso cobrar seus deveres escolares, aí sim, fica difícil, pois, ele perde o controle, não sei o que fazer, rezo e peço muito a Deus que me ajude, pois, sou muito de oração, me assusta ter que levá-lo á especialistas e tenha que tomar remédios, já trabalhei na saúde e sei os efeitos disso, se alguem pudesse me ajudar, estou precisando, e ficarei agradecida, meu imail é scruzmoura@gmail.com,